Olha o que já passou por aqui!

postado por Cinthya Rachel às 16:44
27
nov

 

Metrô linha B.

Hola! Cheguei! Está tudo bem, a viagem foi boa, tudo tranquilo. Quer dizer, coração estava a mil, ansiedade nível hard, mas chegamos bem, vivos e empolgados com essa nova fase.

Muita gente tá perguntando se o blog continua, SUPER continua, assim como face, insta, snap e tudo mais. Claro que esses dias estão mais corridos, então estou postando menos, mas já já as coisas voltam ao seu rumo.

Já estamos procurando apartamento, iniciei o trâmite para pegar meus documentos, estou conhecendo alguns bairros, tentando falar portunhol e essas são minhas primeiras impressões:

-vi muito mais PAIS pegando as crianças na escola ou passeando com as crianças, no Brasil vejo mais MÃES;

-muitas confeitarias, MUITAS, todo quarteirão tem uma, recheada de tortas, bolos, sobremesas;

-a numeração da rua é ótima, sempre 100 números por quadra, então é fácil se achar, e o desenho das ruas é bem reto;

-99,99% de ruas planas <3 ;

-as calçadas são MUITO mais largas que em SP;

-os prédios em sua maioria são baixinhos;

-o atendimento ao consumidor, com honrosas exceções, é terrível;

-as batatas fritas são de verdade, cortadas na mão, nada de padronização;

-o ônibus passa rápido e o metrô demora, mas sempre estão todos cheios;

-muitos sapateiros, em SP já é bem difícil de achar;

-em 2 dias vi 3 manifestações;

-aqui na primavera faz sol e o vento é frio (e meu cabelo acredita que é liso, hahahaha)






postado por Cinthya Rachel às 12:37
19
nov

Parece que depois da onda de ser perfeita, de estar com o cabelo sem um fio fora do lugar, com a roupa sem um amassado, a maquiagem impecável, chegou a vez de ser gente como a gente. Algum problema? Pra mim nenhum até porque eu sou adepta do menos é mais, saio sem nenhum acessório, não uso salto, maquiagem básica e tals. A questão é a vaidade por trás da falta de vaidade. Uma coisa é você ser realmente assim, outra é você se vangloriar e se achar melhor por ser assim.

Eu sei, vai. Dá aquela vontadinha de se sentir superior só porque você é uma pessoa “evoluída”, que não liga pra tendência e leva uma vida simples. Poxa, eu já senti essa vontadinha. Já me peguei revirando os olhinhos para quem leva uma mala gigantesca para passar 3 dias na praia, e me achando muito cool por levar 1 biquíni, 1 chinelo e 1 shorts. Mas a verdade é que se você se sente assim, você não está realmente vivendo essa vibe simples que proclama.

Acho ok postar a vida que você leva de verdade, qualquer que ela seja, só não precisa se vangloriar disso, você não é melhor por acordar e já passar base e fazer make completa, e você não é melhor por sair de havaianas e de cabelo molhado. Cada um é o que é, a beleza tá nisso aí, na gente ser o que é de verdade.






postado por Cinthya Rachel às 10:01
18
nov

Eu ainda preciso assimilar toda a viagem que fiz pra escrever um texto decente para vocês, mas agora quero falar só um tiquinho. Foram 9 dias no Pará, 2 só dentro de um barco de linha, de Santarém até Belém, pelo Rio Amazonas. Dormi na rede, no meio do barco, junto com os moradores da região, gente que tem o rio como estrada. Além de mim e do namorado, só tinham mais 3 turistas, todos estrangeiros.

Foi uma das experiências mais loucas que já vivi.

Ver o barco ser abordado por embarcações pequenas no meio do NADA pra pegar passageiro, e em uma das vezes ver um bebê, que foi seguido pela mãe e pela vó, sendo passado do nosso barco para as mãos de um senhor que estava em pé, dentro do barquinho em velocidade para nos acompanhar, com as águas mexendo, o dia caindo, e todos os envolvidos fazendo aquela operação com a mesma tranquilidade com que a gente pega um ônibus, e saindo a toda a velocidade no escuro, pra algum ponto dentro de um braço do rio, um lugar que não era visível de onde a gente estava, com uma tempestade chegando, aquilo fez meu coração pular uma batida e sem querer prendi a respiração por uns segundos.

Pra onde eles foram? Onde eles moram? O que eles fazem? Como eles vivem? Como será a vida desse bebê? Qual o sonho dessa mãe?

Entrei no barco com os dois pés no chão. Saí dele com eles ancorados, plantados, amarrados e preparados para me equilibrar quando o rio estiver mexido.




Nas categorias: dicas de viagem


postado por Cinthya Rachel às 15:10
06
nov

Estou eu no ônibus. Pouca gente. Umas 8 pessoas. Dei sorte de pegar um com ar condicionado. Aquela moleza gostosa. Eu sentada no assento do corredor e o lugar da janela vazio. Distraída, olhando pra frente, relaxada. No que me dou conta um TIO, que tinha levantado pra descer no próximo ponto, está no corredor com o corpo de frente pra mim, GRUDADO no meu assento, naquela pose clássica do pênis praticamente se encostando na minha cara, os braços pra cima segurando na barra, com todos os olhos pra dentro do decote da minha blusa, achando que eu ia me constranger e ficar quieta.
Falei alto, mais alto do que a voz estava no meu cérebro:
-POIS NÃO? O SENHOR QUER SENTAR???
Todo mundo do ônibus olhou e ficou prestando atenção.
O SENHOR gaguejou e falou constrangido:
-Nnnnão, não…
Eu, ainda alto e falando muito séria:
-AH, TÁ BOM ENTÃO!
Me movi 30 centímetros e sentei no meio dos dois assentos enquanto o ponto dele não chegou, pois não sou obrigada. Meninas, não fiquem caladas!!!!!
‪#‎nãopassarão‬ ‪#‎vamosfazerumescândalo‬ ‪#‎assédio‬